Black Tapes


A seção mais nobre do site, seja lá o que for que isso signifique. Partes e vídeos que sejam especiais por algum motivo entram aqui.

17.04.2019 Dornelândia

Dornelândia é um projeto de Alexandre Neaime, Murilo Romão e Renato Costa Custódio que investiga e ressignifica a relação entre o skate e som, montado em um espaço chamado Esquesso, em São Paulo.

 

O processo de Dornelândia é dividido em quatro etapas. A primeira é baseada em incursões por ruas e ferros-velhos para coletar e resgatar materiais e objetos obsoletos. A segunda consiste em estudar e transformar esses materiais em um circuito híbrido de obstáculos e dispositivos de som. A terceira é focada na criação de um banco de sons gravado através do ato de andar de skate neste circuito. A quarta é composta por apresentações próprias e em conjunto com convidados, utilizando o banco de sons do projeto para criar música.

 

Dornelândia é um projeto colaborativo que forma organicamente uma Zona Autônoma Temporária para maximizar a liberdade e criar redes não hierárquicas. Os artistas, também chamados skatistas criativos, desenvolvem uma relação direta entre o projeto e as ruas, repensando e dando novos propósitos ao espaço físico. Eles também exploram novas maneiras de imaginar a prática do skate invertendo a lógica tradicional e pensando sobre o som das manobras antes delas serem executadas.

 

Você pode baixar o banco de sons gerado pelo projeto clicando aqui.

 

Share

15.04.2019 Crupiê Montage #01

Imagens remixadas e outras inéditas nessa montagem cabreiríssima com um dos times mais pesados do mundo, o da Crupiê: Carlos Iqui, Tiago Lemos, Yuri Facchini, Rodrigo Petersen, Carlos Ribeiro, Joey Brezinski, Rob Gonzales, William Truta, Shmatty, Roman Lisivka e Kai Kishi. Imagens: Eric Iwakura e Spanish Mike

 

Share

06.03.2019 Matheus Souza – Creke’s Tapes

Dois minutos de skate do bom, com nosso mano Matheus Souza. Tudo filmado por ninguém menos que Creke Aires. Tá tudo em casa!

 

Share

17.01.2019 Consequências

Totalmente independente, filmado e editado em um celular, o vídeo apresenta um resumo das consequências geradas durante a exploração e ocupação das ruas e espaços urbanos. Com a maioria das imagens coletadas na cidade do Rio de Janeiro, no interior paulista e na grande São Paulo, um intercambio que traduz bem o cotidiano e o estilo de vida que o skate proporciona. Isso é o que Diego Perez retrata em seu primeiro vídeo de skate, o Consequências.

 

 

Share

05.11.2018 Clapperboard

Um belo dia, nosso mano Giovanni Vianna nos mandou a seguinte mensagem: “Tô com um vídeo que a gente fez entre amigos aqui, vocês querem ver?” Nós vimos e agora você vai ver também, porque o rolê dos moleques é de primeira. O vídeo conta com o skate do próprio Ginger Vianna, Alan Gonçalves, Elias Batista, Gustavo Andrade e Victor Moreira, além do convidado especial Tallys Jr.

 

Tudo foi filmado e editado por Lucas Oliveira e tem as artes visuais feitas por Douglas Marques. Molecada boa! Faça o seu com seus amigos também, mas dá uma atenção pras manobras porque só amizade não rola na hora de ver um vídeo! ;)

 

Share

01.10.2018 Vinicius Carvalho – Forward

Direto de Novo Hamburgo, Vinicius Carvalho apresenta sua primeira video parte, intitulada “Forward”, dirigida e filmada pelo videomaker Julian Eduardo/ Malac.

 

 

 

Share

04.07.2018 Sandro Bertolucci

O homem por trás da Blaze, Honey Pot e outros empreendimentos skatísticos é Sandro Bertolucci. Como você pode ver, um dono de marca que entende muito bem do que faz. Além da parte, fizemos uma entrevistona bem da hora com ele, então assista e leia pra entender a cabeça do cara.

 

Share

29.06.2018 Vale Quanto Pesa!

Vale Quanto Pesa! é um projeto independente realizado pelo videomaker e skatista Matheus Carrasco/Viver Filmes, de São José dos Campos. Filmado durante um período de 6 anos, o video conta com partes de Smaily Di Léllis de Lorena, Marcinho Siqueira de Caçapava, Adriano Lachovski de Curitiba, Iago Carrasco de São José dos Campos, e uma emocionante homenagem a Guilherme Augusto “ Feijão” (R.I.P).

 

 

 

 

Matheus Carrasco explica melhor a ideia do video.

 

“O video foi financiado pelos próprios skatistas e pessoas envolvidas no projeto, que também são skatistas. Vale Quanto Pesa! conta com imagens nas principais cidades do Vale do Paraíba, Curitiba, Itu, São Paulo, Belo Horizonte, Miami e Los Angeles. A trilha sonora conta com várias bandas da região do Vale do Paraíba. Um fato legal é que a música da parte do Feijão foi feito especialmente pro video, um pedido feito para o MC Ralph quando o Feijão ainda estava vivo. Quero que fique aqui registrado nosso muito obrigado a todas as bandas que autorizaram o uso das músicas no video. Outra coisa legal é a parte do Marcinho Siqueira, que acreditamos ser a primeira video parte de um portador de nanismo no Brasil. Esperamos que gostem do video pois foi um corre de skatista  para skatista!”

 

 

Clique nos links abaixo para mais conteúdos do Vale Quanto Pesa!

 
Instagram Vale Quanto Pesa!
  

Facebook Vale Quanto Pesa!

 

Parte Extra do Iago Carrasco no Vale Quanto Pesa!

 

Playlist youtube Vale Quanto Pesa!

 

Pro model Smaily Di Léllis colab Nobre Skateboard Vale Quanto Pesa! 

 

 

Share

20.06.2018 Mindex

Mais coisa boa vindo direto de Manaus, mais precisamente da Costume. Vídeo filmado no Passeio do Mindu, um dos picos mais importantes de Manaus e, como você pode ver, muito bem aproveitado pelos locais. O skate respira no Norte!

 

Share

18.06.2018 Murilo Peres – Silver Era

Essa é a parte do Murilo Peres no Silver Era, filme que comemora os mais de 27 anos da Drop Dead, marca fundamental do skate brasileiro. Voa, Murilo!

 

Share

18.04.2018 ruexistencia vol2

 

Dando continuidade ao vol1, ruexistencia nada mais é que a existência e resistência da rua às atrocidades nelas impostas. As artes de rua, as intervenções sociais e as manifestações lutam contra o estado corrupto, a repressão e o descaso com políticas públicas, tendo como objetivo atrair os transeuntes a uma reflexão sobre a situação do nosso país.

 

A rua possui esse papel fundamental de encontro de ideias e atos e, ao entender a força política que temos ao ocupar esse espaço e o poder de mudança que conquistamos com isso, estaremos exercendo cada vez mais nossa cidadania.

 

Viva a rua!

 

Skatistas na ordem de aparição: Renato Riguetti, João Galvão, André Viana, Arthur Guedes, Vitor Leal, Nikolas de Murtas e André Lisboa.

 

Imagens e edição: Renato Riguetti

 

Imagens feitas entre 2014 e 2017.

Share

06.03.2018 Simple – A Rua é Nossa Casa

Com muito orgulho, apresentamos A Rua é Nossa Casa, full video da Simple que tem partes de Gui Zolin, Nicholas Dias, Igor Calixto, Rodrigo Pastor e Matheus Ferreira. Peso total.

 

Sente-se, chame os amigos, pegue sua bebida preferida, assista e, de quebra, leia as entrevistas abaixo. Depois tá liberado pra andar.

 

 

CLIQUE AQUI E LEIA AS ENTREVISTAS!

Share

22.02.2018 Iago Carrasco em Miami

Iago Carrasco se jogou pra Miami, voltou com o hd recheado de manobras e ainda escalou seu irmão Matheus pra editar o vídeo. Trabalho em família, coisa fina!

 

 

 
 

Share

20.12.2017 Cria – 19 Gramas

O terceiro vídeo da marca goiana Cria, que você assiste abaixo, chama-se 19 Gramas, alusão ao maior acidente radioativo do mundo fora de uma usina nuclear, ocorrido na cidade em 1987. Uma marca que movimenta a cena de Goiânia, feita por skatistas que realmente passam os dias juntos e fazem seu próprio game. Existe skate do bom fora dos grandes centros, e em muitos aspectos ele está à frente. Conversei com o Ademar Badê, criador e chefe da porra toda, e com o Guega Cervone, que trocou Cubatão e São Paulo por Goiânia e agora é parte da gangue. Acredite: conhecer as ideias dos caras acrescenta bastante na hora de assistir ao vídeo. Então assista e conheça um pouco melhor uma das marcas mais verdadeiras do Brasil.

 

Texto e entrevista por Felipe Minozzi (Fel)

 

 

CLIQUE AQUI E LEIA TUDO!

Share

20.09.2017 Maykison Vincent – Child

A Child, marca importantíssima dos anos 90, está de pé novamente e distribuindo pancadas a rodo. Nesse vídeo, temos a honra de apresentar, junto com a marca da bonequinha mais famosa do skate brasileiro, o cabreiríssimo Maykison Vincent que, junto com Felipe Félix e Neverton Casella, faz parte do renovado time da marca. Segura!

 

Share

24.07.2017 RoB3RL4N3 V1D4 L0K4

Direto de Manaus, novamente apresentamos o mais recente trampo da Costume, do nosso mano Adonis Perfeito! RoB3RL4N3 V1D4 L0K4 mostra a cena local dos caras da região. Caso você esteja se perguntando, o nome vem de uma brincadeira com a junção dos nomes, prática comum no norte do Brasil. Skate do bom.

 

Share

26.06.2017 Jr. Pig – BCN Dayz

Local das Águas Espraiadas, saudoso Pântano, em São Paulo, Jr. Pig tem um dos estilos mais bonitos do Brasil. Passando uma longa temporada em Barcelona, andou (e continua andando) em vários picos da cidade, famosos e obscuros, e juntou tudo nesse vídeo, BCN Dayz. Aproveitamos também pra trocar uma ideia com ele pra saber mais sobre esses meses em Barcelona  e como foi filmar essa parte na pura força de vontade. Pig é ídolo!

 

introdução por Felipe Minozzi (Fel) / entrevista por Marcelo Mug

 

 

Antes de tudo, como você foi parar em Barcelona?

Um ano antes de ir, eu já conversava com a Xushine (Ligiane Xuxa) sobre ir pra lá, andar de skate, colocar as ideias em dia, produzir, sair um pouco dessa babilônia. Fiz um planejamento e cheguei nos meus patrocinadores com a ideia, consegui as passagens, uma ajuda de custo ali e tchau!

 

Pig_180ssfscrooks_ninalima_645pixels

180 switch frontside crooked. (Nina Lima)

 

De fora parece que Barcelona é uma gozolândia pra andar de skate mas, na real, você me falou que nem é, que tem até uma lei que proíbe o skate na cidade inteira. Explica melhor essa história e quantas multas você colecionou nessa temporada.

Gozolândia sempre foi e sempre será! Hahaha. Existe esse lance de proibição, sim. Muitas vezes você tá andando com uma galera em algum pico, passa o carro da polícia e todo mundo fica parado esperando pra poder continuar andando. A outra lei é dos velhos da cidade: os mais idosos, na maioria das vezes, acham ruim, ainda mais se for naquela praça que fica no meio dos prédios onde eles moram, até mesmo na rua. Mas só pra deixar claro: lá você anda de skate em qualquer lugar, qualquer hora, é muito tranquilo. É tão de boa que você só consegue perceber essas coisas depois de um bom tempo. Eu estava correndo das multas, mano, não por ter que pagar nem nada, ate porque não ia pagar mesmo, mas sim pela perda de tempo em ficar ouvindo o policial querendo passar “lições de moral” no país dele. Mas multa tatêno! Hahaha!

 

Pig_fsnosegrind_ninalima_645pixels

Frontside nosegrind. (Nina Lima)

 

E a lenda que pode andar pelado pela cidade mas não pode andar sem camiseta?
Vira e mexe você via uns caras metendo o louco peladão! Mas vai andar sem camiseta na rua… Logo vai colar um guarda em você pra falar que não pode.

 

Pig_fswallride_xuxinha_645pixels

Frontside wallride (Ligiane Xuxa)

 

Conta a história da vez que os guardas queriam levar os skates e as câmeras.
Porra mano, esse dia eu perguntei pro Damascena se ele podia me filmar. Colamos em um pico, perto da casa dele, mas já tinha uns caras filmando. Então pegamos a bike e saímos em direção a Cannyelles. Chegando lá, lembrei de um pico que já tinha colado uma vez e, na minha cabeça, era muito tranquilo, não ia incomodar ninguém. Andei um pouco, dei uma aquecida e tal… Quando menos esperávamos, colaram dois policiais de moto (um homem e uma mulher). O cara já chegou acelerando: “Cadê os documentos, cadê os documentos?!”. O Damascena deu o dele, eu falei que ia pegar na mochila, crente que eu estava com, pelo menos, o RG. Quando abri a mochila já pensei na hora: “Puta, mano, fudeu”. Tinha esquecido tudo em casa. Colei no policial e ele perguntou novamente. Falei que tinha esquecido em casa! Hahahaha! Ele não acreditava que fosse possível, e eu falei de novo que tinha esquecido. Mano, esse policial começou a dar uma canseira no Damascena; queria porque queria levar as câmeras e os skates de qualquer jeito, e o Damas escondendo a câmera nas costas, falando que não ia dar. Nessa hora, a policial feminina me chamou de canto, tentei explicar pra ela que ali na praça já tinha várias marcas de skate, que não sabíamos que era proibido, aquela coisa. Ela falou que aquilo tinha sido uma denúncia e, nesse caso, não tem como escapar. Eu já saí puto, estava sem documento e não me deram essa multa, mas o Damascena segurou no nome dele por nós dois. Acabaram não levando nossos equipamentos, mas tomamos essa multa aí como se fosse pra ir retirar os equipamentos apreendidos na delegacia. Uma multa de 75 euros, que se não fosse paga em cinco dias, subiria pra 300 euros. E acabou virando 300 euros! Hahaha!

 

Pig_fakiecrook_williandamascena_645pixels

Fakie crooked subindo. (Willian Damascena)

 

E como você se virou com grana, já que o “mercado de skate” praticamente não existe em Barcelona e é impossível viver de skate por lá?
Eu fazia trabalhos informais pra levantar uma grana. Não só eu, minha mina também. Eletricista, pintor, pedreiro, gesseiro, caseiro, passeava com dogs, vendia coisas na internet, cheguei até a gravar um comercial, mano! Eu “cursei e me formei” em todas essas profissões pelo YouTube. Melhor escola pra quem é um “sin papeles”. Não sei se é impossível viver do skate em Barcelona, o que eu senti quando fui pra lá é que, no final de tudo, o skate acaba sendo só mais um detalhe importante pra você. Pico tem de monte, de tudo quanto é forma: de ferro, de madeira, de mármore, de tudo, mano! Mas, no final, você só vai andar de skate porque você ama isso. Pelo menos eu, no tempo que fiquei lá, não pensava em viver do skate, mas viver o skate e a cidade, aproveitar o que estava sendo me dado. Me acostumei com essa ideia.

 

Pig_fsrockarrancandoxuxinha_645px

Rockão de front arrancando. (Ligiane Xuxa)

 

Rolou uma deprê quando você voltou pro Brasil?
Uma galera me pergunta isso. Eu não senti por causa do skate, não senti por causa dos picos, tanto faz! Skate lá, skate aqui, sempre vou andar. O que eu sinto falta mesmo é da liberdade, do direito de ir e vir, de poder caminhar até o final da rua e chegar na praia, das cervejas baratas, das pedaladas quilométricas de bike, sinto falta da Xuxa dando um salve da janela dela, chamando a gente pra colar com ela no mercado, comprar um vinho barato, sentar na praça pra trocar ideia e usar o wifi. Sinto falta do Mercadona, de poder colar com 20 euros e fazer a compra da semana pra casa, de pegar os cachorros que minha mina cuidava e levar pra dar um rolê com ela. Enfim, essas coisas.

 

Pig_bsnoseblunt_ninalima_645pixels

Backside noseblunt (Nina Lima)

 

Vamos falar da parte agora. Como foi todo o corre de filmar e editar?

Eu saí do Brasil achando que ia ser tudo fácil, que Barcelona é cheia dos picos que são minha cara, que isso e aquilo. Mano, eu colava nos picos e falava: “Caralho, como assim?”. Na primeira vez que fui no quarter do Fórum não consegui dar nada! Sai de lá até meio pá, tá ligado? Fora essa dos picos, cheguei lá e pensei: “E aí, quem vai me filmar? Fodeu!”. A minha maior sorte foi ter trombado o William Damascena e o Fagner Pereira. Não existiria nada de imagens, nada de vídeos, nada de corres sem esses dois caras! O Damascena era meu parceiro de pedalada atrás dos picos; não tem tempo ruim com o Damas, mano! A gente estava na sintonia ali; eu filmava ele, ele me filmava. Fora que eu colocava até minha mina pra filmar, fazer foto. Colocava a câmera no tripe, explicava o movimento e falava pra ela clicar naquela hora! Ela virou fotógrafa de skate em Barcelona! Só não falava pra ela filmar linha porque seria foda! Hahaha! Eu vi que quem estava comigo queria me ajudar, e o que eu pudesse fazer também, eu faria! O vídeo em si, como eu expliquei, não foi fácil fazer. Só quem estava lá pra entender o que eu tô falando, pra saber o quanto é difícil. Mas se fosse fácil também, qual seria a graça, né? Cheguei aqui com as imagens no HD pensando em alguém pra editar, bati a cabeça uns dias. Até que pensei: “Por que que eu mesmo não edito?”. Porra, já que o vídeo todo foi feito assim, já que foi tudo na força de vontade, porque não tentar aprender a editar? Foi o que eu fiz, Mugão. Peguei as imagens e eu mesmo editei.

 

Pig_fshurricane_ninalima_645pixels

Frontside hurricane no Fórum. (Nina Lima)

 

Podemos te considerar um videomaker agora então?
Hahaha! Lógico que não! Mas é louco aprender as coisas!

 

Pig_fsflip_mariomarques_645pixels

Flip de front na maior caixa de fósforo do mundo. (Mario Marques)

 

E a Shit? Tá ressurgindo das cinzas, agora que você tá de volta ao Brasil?
Shit is Back! Em breve o vídeo, em primeira mão aqui! Dario e Zekinha, juntos, fazendo o que sabem fazer de melhor: merda. Sons of Shit! Aguardem!

 

Pig_270bsnosepick_645pixels

270 backside nosepick. (Nina Lima)

 

Pra finalizar, quer mandar beijo pra quem?
Beijo pra minha mãe, minha mulher, pra Luli, Penélope, Xushine, Emy. Um salve aí pro mano Damas; sem palavras, meu tru! Pro Fagner, Dario, Zekinha, Groll, Homero, Xue, gangue da Black Media, AE gang e pra todos os meus amigos ai também. Só força!

 

Pig_retrato_645pixels

Share
Página 1 de 212