Black View - 24.11.2014 Diogo Ramos e o Made in Brazil 2


Um vídeo de skate totalmente brasuca, só com picos brasileiros, trilha exclusivamente nacional, filmado quase todo com a saudosa VX1000 e com mais de quarenta minutos de duração. Realizar um projeto desse porte em pleno 2014, de maneira totalmente independente, só pode ser ideia de algum maluco que ama muito o que faz; que come, bebe e respira skate a cada minuto. Neste caso, são dois malucos: os irmãos gêmeos Diogo e Diego Ramos, os cabeças por trás do Made in Brazil 2, que conta com partes dos pesos pesados Lucas Xaparral, Biano Bianchin, Renato Souza, Victor Süssekind, Yuri Facchini e um convidado especial que vocês só vão descobrir se assistirem ao vídeo.

 

Separamos uma porrada de fotos das filmagens e enquadramos o Diogo, mais conhecido como Gema, pra saber sobre o processo de produção do vídeo e sua fixação com as VXs.

 

texto e fotos por Marcelo Mug

 

Diogo Ramos

 

Bom, pra começar, a ideia do Made in Brazil é sua, do seu irmão Diego ou dos dois?

Na verdade, foi meio que minha, do nada. Depois do Made in Brazil 1, eu prometi que não ia mais fazer um longa metragem de skate. Mas, durante as sessões com o Biano e Renatinho, resolvemos ir filmando e pensar em algo mais pra frente, e daí aconteceu o MIB2.

 

Diego, Diogo e Xaparral

 

 

O video é inteirinho de VX ou tem imagens de HD também?

O vídeo é no formato MiniDV 4.3 Box. Como esse projeto começou quatro anos atrás, ainda não eram comuns as câmeras HD. Por isso, no início eram apenas imagens de VX. Com o passar dos anos, em algumas ocasiões foi preciso filmar de HD, de tele, para garantir uma imagem ou comportamento mesmo sem estar com a VX.

 

Explica como começou o seu relacionamento com a VX e por que você não troca ela por nada nesse mundo.

Sempre gostei de vídeos de skate desde o começo de tudo e a gente sempre via nas 411, nos vídeos da Alien Workshop, que eles estavam com a VX1000. Sempre foi um sonho ter uma, até que um dia fiz um lance no Mercado Livre em uma VX usada made in Japan e esse sonho se realizou, mas um mês depois o flat cable do viewfinder rompeu. Isso foi no final de 2006.

 

 

Diogo Ramos e as VXs

 

Quantas VXs você já teve até hoje?

Umas sete VXs 1000, uma VX2000 e quatro lentes fisheye MK1.

 

Quanto tempo demorou pra fazer o MIB 2?

Era para acontecer em menos de dois anos mas, como o vídeo sempre foi independente, sem fins lucrativos, precisamos fazer trabalhos e projetos paralelos ao mesmo tempo, para nos manter. Por conta disso, o vídeo demorou quatro anos para ser concluído.

 

JP Souza, switch flip tailside shovit. (Marcelo Mug)

JP Souza, switch flip tailside shovit out.

 

Qual a parte boa e a ruim do vídeo demorar tanto pra ser lançado?

Olha, eu não vejo parte ruim em um vídeo demorar muito para ser lançado, porque quanto mais pressa, menos aprimoramento. Tem vários vídeos nacionais e gringos que demoram quatro, cinco anos para sair e mesmo assim, são bem vistos.

 

Inicialmente, o Luan de Oliveira ia ter parte no MIB 2. O que aconteceu que a parte dele não rolou?

A ideia inicial era ter partes do Luan de Oliveira, Renato de Souza e Biano Binachin no MIB2. O Luan tem bastante imagem boa dos dois primeiros anos de projeto mas, com as mudanças de patrocinador, ele decidiu romper com o vídeo e não usar sua parte no lançamento.

 

Luan de Oliveira - Nollie flip e flip bigspin (marcelo Mug)

Luan de Oliveira, nollie flip + flip bigspin. 

 

Vale a pena fazer um vídeo independente hoje em dia no Brasil?

Para ser sincero, não vale nem um pouco a pena fazer vídeos no Brasil. Porque você é roubado, os picos são hiper difíceis, a população não aceita a prática em muitos locais, aquela coisa toda. Mas, como eu assisto vídeo de skate todo dia, fico muito feliz e grato em conseguir finalizar mais um projeto que vai ficar aí pra sempre.

 

Agora fala a real: quantas caixas de paçoca e pacotes de bolacha Piraquê vocês comeram nesses anos de filmagem pro MIB 2?

Mug, você sabe demais, porque estava presente em boa parte das sessões. A gente sempre levou paçoca e bolachas mocadas em caso de não poder parar para almoçar ou comer algo no decorrer da sessão.

 

Quantas fitinhas MiniDV vocês gastam por mês? Tem ideia de quantas vocês usaram no MIB 2?

Nos primeiros dois anos de filmagem usávamos mais fitas, até porque não existia camera HD para fazer o segundo ângulo. É meio difícil calcular quantas usávamos por mês, mas eu sei que tem mais de quatro caixas de sapato derramando fitinhas MiniDV em casa.

 

Ragueb Rogério, fs lipslide

Ragueb Rogerio, boardão de front. Lipslide pros xiitas.

 

O vídeo tem só imagens filmadas no Brasil? Quais cidades vocês visitaram durante as filmagens?

Sim, desde o início do projeto o intuito era só ter imagens do Brasil e músicas brasileiras. Passamos por Brasília, Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Florianópolis, Maringá, Santos e São Paulo (capital e interior).

 

O que você acha que melhorou do MIB 1 pro MIB 2?

Eu gosto muito do MIB1. Poucas coisas mudaram do 1 para o 2, mas acho que só de ter um skatão com rodas moles pra filmar e, por isso, menos ruído nas linhas, já melhorou. No primeiro, o meu irmão também não ajudou a filmar de dois ângulos.

 

Footy check

Footy check com os Tropicalients.

 

Como você escolheu os skatistas que tem parte no MIB 2?

Como eu faço o Olho de Peixe há muitos anos, eu tenho contato com muitos skatistas e acabo conhecendo mais o skate de cada um. Isso me ajudou a escolher os integrantes do MIB2.

 

Fala um pouco de cada skatista abaixo e como foi a relação durante as filmagens:

 

Lucas Xaparral, fs grind

Lucas Xaparral, fs grind.

 

O Xaparral tem muita capacidade e perseverança. Nunca desiste; é disso que eu gosto dele. Ah, e ele estava devendo uma parte de VX1000 na carreira.

 

Vitinho e Gema

Vitinho e Gema.

 

Victor Sussekind é o mais louco, não tem medo de descer corrimãos ou picos impossíveis. Faz render. É o que mais gosta de vídeo filmado com VX1000, e isso foi muito positivo.

 

Renato Souza, bs bigspin. (Marcelo Mug)

Renato Souza, bs bigspin.

 

O Renato Souza está do nosso lado desde o início do projeto MIB2. Da hora esse guri firmezinha e estilão, agradeço muito por estar todo esse tempo do nosso lado!
Biano Bianchin

Biano Bianchin.

 

Tenho orgulho de ter o  Biano Bianchin, esse macaco velho, no vídeo. Admiro muito esse cara pela carreira de muitos anos e gostar muito de andar de skate cedo, todo dia. Skate matinal!

 

Yuri Facchini, shuvit nosegrind. (Marcelo Mug)

Yuri Facchini, shuvit nosegrind. 

 

O Yuri Facchini tem um skate infinito. Anda brincando e dificilmente rende apenas uma manobra nos picos.

 

Manda um recado pra quem pensa em fazer um vídeo de skate independente no Brasil.

Faça vídeos de skate, faça vídeos partes de amigos, de quem quer participar de um vídeo completo.  É difícil realizar mas vale a pena, é uma obra que fica pra sempre se for bem filmado e feito. Vamos valorizar mais os vídeos de skate e as videos partes porque infelizmente isso esta acabando.

Share